Mudança nas regras do seguro-desemprego diminui pedido do benefício

O mês de abril foi o que mais sofreu impacto até o momento, passou de 168 requerimentos em 2014 para apenas 87 pedidos do benefício em 2015.

9

A nova regra do seguro-desemprego, que começou a valer a partir de 28 de fevereiro reduziu consideravelmente o número de requerimentos do benefício em Jacarezinho. Somente no mês de fevereiro, houve uma redução de quase 40%. O mês de abril foi o que mais sofreu impacto até o momento, passou de 168 requerimentos em 2014 para apenas 87 pedidos do benefício em 2015. O último trimestre (de maio a julho) registrou uma queda de 38%.

 

Para a gerente da Agência do Trabalhador de Jacarezinho, Salete Schuminski Ribeiro, a medida provisória que entrou em vigor no início do ano, mudando as exigências para concessão dos benefícios, é a única explicação para a baixa no número de atendimento do seguro. “Os trabalhadores estão vindo até a agência para consultar sobre os direitos, para verificar se pode ser um beneficiário do seguro­desemprego. Por outro lado, vimos também a precariedade de vagas ofertadas pelas empresas na agência, sem dúvidas tivemos uma queda muito grande”.

 

Salete explica que apesar de nem todas as empresas oferecerem as vagas na agência, fica difícil encaixar o trabalhador em outra vaga após a demissão. “O país está passando por um período de crise e as vagas estão cada dia mais escassas”, ressaltou.

 

De acordo com a nova regra, os trabalhadores que darão entrada no seguro-­desemprego deverão comprovar que trabalharam com carteira assinada por 12 meses consecutivos nos 18 meses anteriores à demissão, antes de fazer a solicitação do benefício pela primeira vez.

 

Já para pedir pela segunda vez o benefício, o prazo de carência será de nove meses. O trabalhador que irá efetuar o pedido pela terceira vez terá que comprovar ter trabalhado por, pelo menos, seis meses para receber o seguro. Nos demais pedidos valerá o prazo de seis meses ininterruptos de trabalho para que faça jus ao benefício.

 

Em relação ao número de parcelas, no primeiro pedido o desempregado terá de comprovar ter trabalhado um mínimo de 12 meses e um máximo de 23 meses nos 36 meses anteriores à demissão, para receber quatro parcelas.

Comentários

FONTETribuna do Vale/Dayse Miranda/Crédito: Antônio de Picolli
COMPARTILHE