Biblioteca vai completar 50 anos em novo endereço

A Biblioteca Municipal José de Alencar em Santo Antônio da Platina completa 50 anos em setembro e em comemoração à data vai ganhar novas instalações

14

A Biblioteca Municipal José de Alencar em Santo Antônio da Platina completa 50 anos em setembro e em comemoração à data vai ganhar novas instalações. A Secretaria Municipal de Cultura e Esportes está transferindo todo o acervo e mobiliário da rua dos Estudantes para a rua Munhoz da Rocha, 585, centro, próxima a Imobiliária Boberg.

Segundo o diretor de Cultura, Antônio Altvater, a mudança vai favorecer o acesso dos usuários, porque além do novo endereço estar localizado na área central da cidade, o espaço também vai acomodar melhor o acervo e os projetos culturais que estão sendo elaborados para funcionar na biblioteca. “Tenho alguns planos para incentivar mais as visitas á biblioteca, e precisava de um espaço maior. O local atual não favorece a circulação das pessoas nem a logística que uma biblioteca precisa ter para atender melhor os frequentadores”, disse.

O diretor salientou ainda, que a mudança já estava prevista há algum tempo, mas que precisava de um local adequado. “Esse novo prédio tem as características que eu procurava. É um imóvel antigo, que tem sua arquitetura preservada e está bem conservado. Além de ser na área central da cidade, o que facilita o acesso”, explicou.

Museu

A Secretaria de Cultura e Esportes deve inaugurar também, ainda este ano, o museu da cidade, que será instalado no Povoado da Platina, na antiga estação ferroviária. O imóvel foi restaurada pela América Latina Logística (ALL) empresa responsável pelo trecho regional da ferrovia. O diretorAntônio Altvater explicou que os trabalhos para organizar o acervo são minuciosos. “Temos que catalogar todas as peças, e é preciso cuidado na remoção delas. Também temos que providenciar o mobiliário e organizar o funcionamento. A pretensão é inaugurar o museu ainda este ano”, disse.

Comentários

FONTEFonte: Tribuna do Vale/Gladys Santoro/Crédito: Antônio de Picolli
COMPARTILHE