Nova invasão de túnel aprofunda crise de imigrantes no Canal da Mancha

14

Um homem morreu enquanto pelo menos 1,5 mil imigrantes tentavam atravessar o túnel sob o Canal da Mancha na cidade de Calais, na França, na noite de terça-feira, informou a polícia francesa.

O incidente ocorreu horas depois de o primeiro-ministro britânico, David Cameron, ter afirmado que “fará qualquer coisa” para combater a crise que se instalou na área.

Segundo Cameron, a situação é “muito preocupante”. Ele confirmou que o governo liberará um montante extra de 7 milhões de libras (R$ 36,6 milhões) para uma nova cerca no terminal.

O Canal da Mancha é a principal ligação entre o Reino Unido e a França.

Mais de 2 mil pessoas tentaram entrar no terminal na noite de segunda-feira. Veja vídeo.

‘Solidariedade’
O homem que morreu na noite de terça-feira era sudanês e tinha entre 25 e 30 anos, segundo o site de notícias francês France Info.

Segundo relatos, ele teria sido atropelado por um caminhão.

Falando de Cingapura, Cameron afirmou que a ministra do Interior britânica, Theresa May, presidiria mais tarde uma reunião do comitê de emergência do governo (Cobra, na sigla em inglês) sobre a crise.

“Eu me solidarizo com todos os turistas que estão tendo dificuldades para acessar Calais por causa desses acontecimentos. Trabalharemos junto com a França para darmos um desfecho a essa história”, afirmou Cameron.

“Não há por que apontar culpados, trata-se de trabalhar com os franceses, implementar essas medidas de segurança adicionais, aplicar investimento em áreas necessárias. O Reino Unido sempre tomará as rédeas dessa história”.

Um porta-voz do Ministério do Interior britânico afirmou que o montante extra de 7 milhões de libras ─ apresentado por May no início deste mês ─ financiará dois quilômetros da nova cerca na cidade francesa de Coquelles.

As obras para construir a cerca começaram no início deste mês e devem ser concluídas nesta semana, acrescentou o Ministério do Interior.

A invasão dos imigrantes causou vários atrasos nos serviços de trem do Eurotúnel ─ e passageiros ficaram presos por cerca de uma hora do lado britânico e 30 minutos do lado francês na terça-feira, informou a agência de notícias AFP.

Uma porta-voz do Eurotúnel ─ que administra e opera os serviços de trem no Canal da Mancha ─ afirmou que as incursões de imigrantes acontecem “todas as noites”.

“Precisamos interromper o fluxo de imigrantes de Calais mas são tantas pessoas que este trabalho é quase impossível”, acrescentou ele.

‘Crise’
O líder do UKIP (Partido Independente do Reino Unido), Nigel Farage, defendeu o uso das Forças Armadas britânicas para buscar imigrantes ilegais nos veículos que chegam ao país.

A última morte eleva para nove o número de imigrantes que morreram neste verão tentando entrar no Reino Unido por meio do Canal da Mancha.

No início deste mês, May anunciou que um novo perímetro de segurança seria criado em Calais para caminhões com destino ao Reino Unido, em resposta ao forte crescimento no número de imigrantes tentando cruzar o canal.

Segundo a AFP, desde o início de julho, 3 mil imigrantes ─ principalmente da Etiópia, Eritreia, Sudão e Afeganistão ─ estariam acampando e tentando entrar no Reino Unido cruzando o Canal da Mancha.

Comentários

VIABBC
FONTEG1
COMPARTILHE