Sem cláusula de renovação automática, estafe muda planos para Jadson

Os representantes do atleta negam que tenham tentado incluir no documento o gatilho que aumentaria o prazo de permanência do jogador no clube dependendo de suas participações, apesar de confirmarem o interesse em vínculo de três anos.

0

O fato de não conseguir um contrato por três anos com o Corinthians mudou os planos do estafe de Jadson para o atleta. O acordo final não prevê nem renovação automática dependendo do número de partidas disputadas por ele, diferentemente do que chegou a ser discutido. Depois de dois anos, se as partes quiserem renovar, terão que iniciar outra negociação. Os representantes do atleta negam que tenham tentado incluir no documento o gatilho que aumentaria o prazo de permanência do jogador no clube dependendo de suas participações, apesar de confirmarem o interesse em vínculo de três anos.

Antes a intenção era tentar compensar o dinheiro que o meia deixou de receber ao rescindir seu compromisso com o chinês Tianjin Quanjian, que iria até dezembro deste ano, e consolidar a identificação do jogador com o alvinegro em três novas temporadas.

Agora, porém, ganha ainda mais importância uma sequência de boas atuações para tentar conquistar vaga na seleção brasileira pensando na Copa da Rússia, no ano que vem, e obter uma valorização justamente quando o meia já poderá assinar pré-contrato com outro clube. O Mundial terminará em julho. O contrato de Jadson valerá até 31 de dezembro de 2018. A partir de seis meses antes do fim do compromisso o atleta está liberado para assinar pré-contrato.

A insistência corintiana em não aceitar o terceiro ano de contrato chateou os representantes de Jadson que interpretaram a atitude como desconfiança no potencial do jogador para seguir a carreira aos 36 anos, idade que terá em 2019. Já a direção alvinegra manifestou internamente o receio da repetição do caso Cristian, 33 anos, veterano com salário top e que não está mais nos planos do clube, apesar de ainda ter contrato. Ele retornou ao Corinthians em 2015 e assinou por três temporadas.

Outro ponto que desagradou ao estafe de Jadson durante a negociação foi que ao mesmo tempo em que a idade parecia ser um problema para a diretoria, o clube tentava contratar Drogba, jogador de 38 anos e salário elevado.

Além de não haver previsão de renovação automática, o novo compromisso de Jadson tem cláusula de saída, que obriga o Corinthians a vender o meia ou equiparar a oferta salarial se aparecer proposta na quantia combinada. O blog não teve acesso a esse valor.

Comentários

FONTEBlog do Perrone
COMPARTILHE