Dólar recua ante o real, acima dos R$ 3,50

Mercado segue atento a turbulências políticas no Brasil e juros nos EUA. Na véspera, moeda norte-americana avançou 1,39%, cotada a R$ 3,5374.

5

O dólar opera em baixa nesta sexta-feira (7), mas acima do patamar de R$ 3,50, que foi rompido na véspera, em meio à contínua deterioração do cenário político e econômico brasileiro e após divulgação da taxa de desemprego nos EUA de julho, que se manteve em seu nível mais baixo em sete anos.

Às 10h10, a moeda norte-americana recuava 0,07%, a R$ 3,5348 na venda, após subir nas últimas seis sessões, acumulando valorização de 6,25%. Veja a cotação.

Na véspera, o dólar avançou pela 6ª sessão seguida e subiu 1,39%, cotada a R$ 3,5374 – maior cotação desde 5 de março de 2003, quando fechou a R$ 3,555.

Na semana e no mês, o dólar acumula alta de 3,29%. No ano, há valorização de 33,05%. Nas seis altas consecutivas, o dólar subiu 6,25%.

A forte alta da véspera refletiu na cotação nas casas de câmbio na quinta-feira, que vendem o dólar turismo, valor que é sempre maior que o divulgado no câmbio comercial. Nas casas de câmbios pesquisadas pelo G1, o dólar chegou a R$ 3,97.

O movimento de alta do dólar se acentuou nos últimos dias devido ao acirramento da crise política no país, que está dificultando ainda mais a aprovação no Congresso de medidas de ajuste fiscal.

Juros nos EUA
Além disso, a perspectiva de que os juros norte-americanos podem subir no mês que vem também tem contribuído para elevar o dólar globalmente. Juros mais altos nos EUA podem atrair para o país recursos aplicados atuamente em outros mercados, como o Brasil. Por isso, a alta tende a valorizar o dólar frente ao real.

O Fed, banco central norte-americano, aguarda sinais de recuperação da economia dos EUA para subir os juros no país. Por isso, operadores aguardavam a divulgação da geração de vagas no mercado de trabalho norte-americano, na sexta-feira, para calibrar suas apostas sobre a política monetária da maior economia do mundo.

Intervenção do BC
O Banco Central anunciou nesta quinta-feira (06) um aumento na oferta de contratos de swap cambial tradicional em leilão para rolagem do lote que vence em 1º de setembro, sinalizando aumento da intervenção no mercado de câmbio, em meio a acentuada alta da moeda norte-americana ante o real.

O BC anunciou que serão ofertados em leilão nesta sexta-feira (7) até 11 mil contratos de swap cambial, ante oferta diária de 6 mil contratos desde o início do mês.

Se mantiver o novo nível de oferta até o fim do mês, o BC vai rolar praticamente 100% do lote que vence em setembro, que corresponde a 10,027 bilhões de dólares. ante perspectiva anterior de rolagem de 60%, mesmo patamar da rolagem do mês passado.

Comentários

FONTEG1
COMPARTILHE